“O mínimo que se espera de qualquer trabalhador é o domínio do inglês e da informática”

Domínio do inglês e informática é citado por Leandro Karnal em entrevista à CNN

Domínio do inglês e da informática é mencionado por Leandro Karnal em entrevista à CNN

Num país com uma alta taxa de analfabetismo funcional, o domínio do inglês e da informática é apontado por Leandro Karnal como o “o mínimo que se espera de um trabalhador, do mais simples ao mais avançado.”

Em entrevista à CNN no dia 18 de abril de 2020 Karnal conversou sobre o Mundo Pós-Pandemia e o que se espera da nossa sociedade.

E segundo Karnal, o que está ocorrendo é uma aceleração de processos que já vinham acontecendo, como o exemplo das aulas EAD e das reuniões virtuais.

“Os três fatos que aceleram a história são a guerra, revolução e a epidemia.”

Além dessa observação , espera-se por uma explosão de sociabilidade pós-pandemia. Assim como já ocorreu na história Universal.

Como é o caso da Peste Negra, onde logo após esse período surgiu o renascimento.

Ou como ocorreu após a revolução francesa onde a moda tornou-se extravagante.

Ou seja, o que podemos esperar pós-pandemia em qualquer sociedade é uma transformação nas relações e por consequência na própria cultura.

A ERA DO DIGITAL E DO CONHECIMENTO VAI MUDAR

E se antes o digital já era assunto de debate dentro e fora de centros educacionais, agora ele ganhou ainda mais destaque!

Por isso, Leandro Karnal frisou que:

“Com o avanço da tecnologia, o mínimo que se espera de qualquer trabalhador, do mais simples ao mais avançado, é o domínio do inglês e da informática”.

|Você vai gostar desse artigo: Qual a importância do Inglês para sua Vida?

Mas, pautado nessa fala, ele lembra que é justamente por essa necessidade  que veremos ainda mais desequilíbrio social.

Pois nem todos tem o fácil acesso à internet e ao computador e menos ainda ao ensino da língua inglesa.

E somado a isso, ele mencionou que formação não é a mesma coisa que informação.

Afinal,  ter acesso a toda informação possível não garante à ninguém uma boa e completa formação, tanto intelectual quanto humana.

Ou seja, há uma liberdade na internet para construção de conhecimento, mas ela sozinha, não dá total condição de formar um agente transformador social.

Por isso, precisamos investir na formação dos brasileiros, do mais novo até o mais idoso.

Caso contrário, o Brasil ficará cada vez mais atrasado em comparação a outros países.

E isso reforça o atraso científico e o analfabetismo funcional existente em nosso país.

Portanto, para que a gente consiga correr contra o tempo é fundamental buscar maneiras e tomar decisões que tanto nos preparem enquanto profissionais como possamos também ajudar aqueles que não tem muitas opções.

Você vai curtir esse artigo: Como fortalecer a sua carreira durante a crise?

O QUE DEVEMOS FAZER?

O primeiro passo é: se você tem condição de fazer um curso de inglês, invista o quanto antes! E a segunda dica é procurar se atualizar sobre aplicativos e redes sociais que facilitem o teu trabalho.

Pois saber informática não é apenas digitar um texto no word ou acessar o facebook. É necessário entender das funcionalidades desses programas e aplicativos e como elas podem melhor seu desempenho e aumentar a sua produtividade.

Além disso, o aprendizado do inglês aumenta nossa capacidade cognitiva e, inclusive, melhora a memória.

Portanto, investir na nossa formação é o primeiro passo e que não deve ser, de forma alguma, negligenciada.

E O QUE FAZER EM SEGUIDA?

Trabalhos voluntários como atuar em ONGS que preparem crianças, jovens e adultos de baixa renda pode ser uma opção.

Assim como Karnal afirmou na entrevista, com os avanços da tecnologia o mínimo que se espera é o domínio do inglês e da informática.

Porém, sabemos que nem todos terão acesso.

Com isso a nossa responsabilidade como cidadãos e brasileiros comprometidos com o avanço do nosso país é ajudar com doações de tempo ou dinheiro para causas sociais que invistam nesses conhecimentos.

QUAIS SÃO OS CONSELHOS DE LEANDRO KARNAL AOS JOVENS?

Ainda, na entrevista ele respondeu à pergunta da jornalista Gabriela Prioli sobre dicas de como ler mais e melhor, para aproveitar esse momento de isolamento social.

Para Karnal, quem não tem o hábito de ler deve começa com os contos, como os de Clarice Lispector e Rubens Fonseca.

Além disso, sugeriu ler poesias de Fernando Pessoa e até mesmo, tentar decorar uma dessas poesias para trabalhar a memória.

E outra dica foi ouvir músicas que os façam se sentir bem. Ele, particularmente, ama Beethoven e a sua 4ª Sinfonia.

A entrevista completa você pode conferir aqui: Entrevista com Leandro Karnal

Esperamos que esse artigo tenha te inspirado!

Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!